Hérnia de disco e a terapia morfoanalítica

A Hérnia de Disco pode ser definida como a consequência do desgaste dos discos intervertebrais onde o núcleo de um disco intervertebral migra de seu local no centro do disco para a periferia em direção ao canal medular ou nos espaços por onde saem às raízes nervosas, levando a compressão dessas.

Esta patologia pode ser desencadeada, por exemplo, pelo excesso de peso sobre a coluna vertebral acelerando o desgaste dos “amortecedores” que são os discos intervertebrais.
Que peso é este? De onde vem este peso? Que tipo de peso esta pessoa carrega? Estes são questionamentos que o Terapeuta Morfoanalista avalia.

Se existe um peso concreto que o paciente carrega, então o trabalho morfoanalítico, no corpo real do paciente, favorecerá a reorganização do eixo vertebral e a recuperação dos espaços intervertebrais bem como sua flexibilidade e mobilidade. Ao mesmo tempo o paciente é convidado a ter consciência das causas objetivas da sobrecarga e suas consequências, como por exemplo, a imobilização. Sabemos que uma imobilização física também pode expressar uma imobilidade emocional, afetiva.

Portanto, caso não exista um peso concreto, qual seria o peso simbólico? Como se diz no dito popular “Carregar o mundo nas costas”, quais as cargas emocionais que exercem peso a ponto de comprimir as articulações? Quais os pesos da vida e do cotidiano que não conseguimos soltar e por isso ficamos comprimidos e oprimidos?

Sendo assim, entendemos que é fundamental integrar as queixas físicas e psíquicas no tratamento dos pacientes na proposta da Terapia Morfoanalítica.

Relacionados Artigos